Capítulo 21 – parte 2

Sonhos e mensagens misteriosas

À noite já em seu quarto, uma jovem loura revira-se de um lado para o outro da cama, sua fronte estava suada e sua face transmitia uma sensação de angústia. Lua que ao pé da cama observava tudo e estaria pronta para acudir sua princesa a qualquer momento.

Um quarto em penumbra, janela meio aberta com suaves cortinas que balançava ao vento. Um berço era visto no local, uma criança repousava tranquila, enquanto uma figura ali estava vigiando aquela criança.
Serena passa pelo quarto e reconhece Lua em sua forma humana que vigiava sua pequena filha. Acenou com a cabeça para sua guardiã agradecendo pelo zelo incansável, pois o dia não fora fácil. Darien não se encontrava no palácio aquele dia. O soberano de Tóquio de Cristal estava em missão diplomática a fim de comparecer em uma reunião sobre o novo sistema de alerta e defesa contra futuros inimigos. Serena por sua vez, teve de cuidar de alguns trâmites burocráticos e sua pequena lhe tomava muito tempo também.

Dirigiu-se aos seus aposentos onde deixou a janela um pouco aberta visando apreciar o céu e deixar que os raios do luar entrassem no ambiente como uma forma de lhe transmitir um pouco de calma. Estranhamente o luar tinha esse tipo de efeito sobre a rainha. Passaram-se algumas horas até que ela acorda ouvindo um ruído de passos. Pensou que fosse seu rei, a julgar pelo modo de caminhar, através dos sons que os passos emitiam,  mas ao ver a figura que astutamente se aproximou com rapidez, notara que esta  já estava com as mãos em volta de seu pescoço com força, mas teve tempo suficiente de reconhecer ser…

?: Rainha da lua branca, você desaparecerá deste mundo, deste tempo onde há brilho e paz. As trevas irão dominar e tu serás aquela que me dará o poder para isso com sua morte. Você deve morrer.

Neste instante, Serena dá um grito e acorda cansada com se aquele sonho realmente tivesse surtido efeito sobre seu corpo.  Como se de fato estivesse sendo sufocada naquele instante.
Serena: Nãããooooo, não pode ser. Não faça isso.

Lua: Serena acalma-te foi só um sonho ruim, já passou estou aqui.

Com o quarto à penumbra, Serena levanta-se lentamente, sua respiração ofegante aos poucos abranda.

Serena: Não Lua, não foi um sonho ruim, foi uma impressão forte demais. Forte o bastante para me fazer pensar que alguma coisa está errada. Tenho a impressão de que batalhas fatigantes virão novamente e que não sei se terei forças para o que vai chegar. E não é só isso a dor que vi no sonho continua em meu corpo.

Serena tateia o carpete de seu quarto com os pés em busca de suas pantufas, levanta-se e vai em direção ao espelho onde acende a luz. Serena engasga. Nota-se um semblante de espanto e horror ao olhar  em seu pescoço marcas das mãos que seu sonho projetara.

Serena: Veja não foi sonho, olhe isso Lua. Como pode ter sido só um sonho ruim,  se se essas marcas… – e Serena pôs-se a chorar com medo e com um grande temor dentro de si.

Lua: Não pode ser! – olhava com certo espanto e dúvida – Como pode em um sonho tal energia atacar a princesa. – pensava antes de consolá-la. Não tema isso vai passar. Não é um bom sinal eu sei, pois com a influência da lua desta noite e os planetas se aproximando, sua energia deve por algum motivo, ter ficado com a impressão do seu sonho, mas já vai passar. Não fique assim.  E Lua, com sua marca de lua crescente, emitia uma luz na fronte de Serena para que esta ao menos por hora não se recordasse das marcas, mas que apenas tivera um pesadelo. Estava com medo de revelar o que mais temia e que guardara por tanto tempo dentro de seu coração. Lembranças que não gostaria de ter a responsabilidade de reviver, mas prometera àquele que foi o fiel guardião dos tempos e das eras, que protegeria uma das pessoas que ele mais amava.

Depois daquele sonho, Serena não estava tão bem como antes, pois sabia que algo a afetava de alguma forma, que vultos vinham em sua mente, mas não conseguia decifrar o que era e decidira guardar isso para si, pois não queria que suas amigas passassem mais uma vez por todo aquele tormento e lutas intermináveis que pareciam sempre persistir e jamais chegar ao fim. Procurava agir naturalmente sem levantar preocupações para as meninas, mas  em algum momento seria inevitável não fugir de tantos questionamentos que viriam. Ao menos por hora queria manter isso apenas dentro de si sem que ninguém mais soubesse além de Darien, quem sabia algo mas não com muitos detalhes, pois conhecia praticamente todos os gestos e feições de sua amada e partilhava com ela desse momento, desse segredo.

Os dias foram se passando e com eles, por mais que Serena tentasse disfarçar suas noites mal dormidas devido àquelas imagens que sempre se repetiam em sua cabeça, não conseguia de certa forma evitar com que as meninas ficassem preocupadas com ela.

No Templo Hikawa, a cabeça de bolinho era o assunto da vez.

Ami: Serena anda tão quieta ultimamente. Ela até tenta chegar mais motivada para as aulas, mas acho que tem algo que a perturba, mas ela não diz. Tenta disfarçar, mas é inevitável não perceber. O que vocês acham meninas?

Lita: talvez seja a pressão do mundo adulto, das escolhas que temos que seguir. Receio de um futuro, se vai fazer a escolha certa sobre o que quer. – diz com ternura na voz.

Mina: Eu acho que ela deve estar em dúvida é em qual vestido usar no casamento, na festa, de quanto vai gastar com tudo isso se vai poder convidar todas nós, – diz com aquele jeito maroto tão característico dela.

Lita: Ai Mina, você não aprende mesmo. Seus comentários a cada dia que passa é lastimável, não tenho nem o que dizer. – mega gota na cabeça.

Mina: Lita não seja assim. Não posso brincar um pouco não? Sei que ela deve estar com alguma tristeza em seu coração e seria melhor pensar em algo como eu disse do que sentir que de fato uma mudança muito grande deve estar por acontecer.

Todas as meninas calaram-se e se espantaram com as palavras sérias da mais bonachona das Sailors. Rei, que estava entretida em uma partida de Jenga, derrubou sua torre ao espantar-se com a sua amiga.

Ami: Poxa Mina, isso eu realmente não esperava de você. Honestamente é uma das poucas vezes que você fala algo realmente sensato – diz com o sorriso meigo que lhe é tão peculiar.

Molly, que passeava pelas ruas do distrito Juuban, avista um cartaz anunciando uma série de eventos no planetário da cidade, logo resolve contar às meninas. A garota apressa o passo e lembra-se que elas costumam reunir-se no Templo Hikawa. A melhor amiga de Serena as encontra no jardim do templo.

Molly: Meninas! Nossa escola está patrocinando juntamente com a Moto Azabu deste evento no planetário! Estudantes da nossa escola, do Mugen Gakuen e da escola feminina entram de graça. Acho que é isso que a Serena precisa para dar uma animada. Ela anda um pouco chateada esses dias ou é impressão minha?

Ami: Sim, mas deve ser algo passageiro, talvez uma indisposição quem sabe.

Mina: Falaram que terá muitas atrações nesta palestra. será que vai ter uns gatinhos também para gente observar? – falava com aqueles olhinhos cintilantes e coraçõezinhos na cabeça.

Lita: Mina, você não tem jeito mesmo. Mas se não fosse pelo Jin até me arriscaria a dar uma paqueradinha. Ai minha nossa, o que estou dizendo! – ria de si mesma e estava com o rosto levemente corado.

Dobrando a esquina, Serena caminhava pela rua arborizada do Templo Hikawa quando ouviu as vozes de suas queridas amigas. Sentiu uma alegria muito grande por saber que tem amigas e guardiãs que lhe queriam muito bem, mas sabia em seu coração que algo muito ruim estava se aproximando e a ideia de novamente passar pela dor da guerra e de ver suas amigas sofrendo lhe perturbava a cada dia. Mas resolveu por hora deixar esses sentimentos guardados e juntar-se a alegria de estar com elas.

Serena: O que tanto vocês comentam meninas? Estão tão animadinhas? Ouvi as vozes de vocês  lá da calçada .

Molly: Terá uma semana no planetário  sobre esses acontecimentos do sistema solar e vão anunciar também uma nova tecnologia e muitas atividades. Nossa escola está participando também.

Kelvin: Será uma semana sem aulas na escola, pois iremos todos os dias no planetário. – chega do nada como sempre e se aproxima de Molly.

Molly: Kelvin, que mania de chegar assim do nada. Você não aprende mesmo não é? Mas sim não teremos aula na escola.

Kelvin: mas eu cheguei logo após a Serena, e entrei pois vi os portões abertos.

Serena: Oba! Posso tirar uns dias de descanso sem ter aulas daquelas matérias chatas e a ficar sem ver a cara nada amistosa do Osach. Adorei. – ela vibrava como nos tempos dos seus 14 anos.

Ami: Não é bem assim Serena. Teremos estudos diários no planetário, farão chamada e…

Serena: Calma Ami, só estava brincando, não precisa puxar minha orelha desse jeito. – mostra a língua.

Lita: É bom te ver assim sorrindo novamente Serena, mas confesso que cheguei a pensar que estaria falando sério por um momento.

O avô de Rei soa o gongo do templo para anunciar a hora de apreciar uma mesa farta de lanches gostosos.
Do outro lado da cidade, no Colégio Mugen Gakuen, Setsuna estava em seu laboratório monitorando o tempo e o espaço. Havia uma sala secreta de onde ela acessava a tecnologia do reino lunar, para melhor observar toda essa mudança espacial que estava ocorrendo, e notava-se um semblante preocupado em seu rosto ao ver as notícias que recebia e como estava se dando a movimentação planetária. Três figuras, que também sabiam sobre a sala adentram ao local.

Hotaru: Setsuna-mama, há algum problema? Está aqui tem um bom tempo?

Setsuna: Nada minha pequena, só analisando alguns dados por precaução. Este evento no planetário na cidade até que veio em boa hora, mas ao mesmo tempo isso me preocupa.

Haruka: Mas o que poderia acontecer num evento como este. Percebeu alguma mudança na porta do tempo, algum fenômeno que não podemos sentir?

Michiru: Agora que você falou. Eu não quis comentar nada, mas tem alguns dias que senti uma energia diferente, mas não sei exatamente o que é e de certa forma está relacionada com a princesa também proveniente do universo.

As demais a olhavam intrigadas com o que acabaram de ouvir e analisarem na tela do computador, mas nada podia ser algo realmente definitivo. Só sabiam que tinham que ficar em alerta, pois  algo estava para acontecer em breve. Setsuna por dar aulas sobre o assunto, foi convidada a dar uma das palestras na semana do planetário o que é muito bem vindo, para poder checar de perto essa nova tecnologia.

Haruka: É bom que possa estar diretamente envolvida com o evento, até porque todos os alunos estarão lá, incluindo nossa princesa. É bom termos uma postura de defensiva para qualquer coisa que possa parecer suspeita. Não me agrada esses acontecimentos e tão pouco que possa já haver alguém entre nós aqui que esteja  a nos observar de tal maneira que ainda não demos conta de quem se trata. – lembrava-se do dia do baile, de como aquele homem que estava com a professora ruiva da escola da Serena, observava a todas.

Michiru: Está certa. Mas façamos tudo de forma natural sem dar grandes alardes.

Hotaru: E porque não marcamos antes dessa semana de eventos começarem, um encontro com todas no Templo Hikawa?

Setusna: É bom falarmos com todas. Não sabemos até onde todo esse fenômeno pode interferir em nós, em nossas habilidades como guerreiras.

Enquanto isso, no planetário, na sala de controle das projeções dos monitores da nova tecnologia,  um deles se acende sozinho e ouve-se um barulho de estática.O relógio com o seu tique taque incessante, é interrompido com o som de passos e a porta se abrindo. Um vulto negro, que parecia ser de um homem insere um disco no drive e digita algumas linhas de comando.

C:\>md Mimi4D
C:\>cd Mimi4D
C:\MIMI4D> run Mimi4D.exe
Installing…
Mimi ver 2.0

???: Hahahahahaha!

A estática de TV some e um vulto de uma mulher surge no monitor. O homem sai da sala calmamente e o vulto sorri.

Vulto: Vamos ver agora quem será a verdadeira estrela deste show.

O vulto assume a forma de uma mulher belíssima trajando roupas futuristas.

Mimi: Olá, mundo! Sua estrela cadente favorita, Mimi chegou para anunciar a chegada da tecnologia que irá revolucionar a forma que assistiremos nossos filmes e programas de TV favoritos! Muito brilho para vocês todos! Um grande beijo de sua querida Mimi!

O misterioso anúncio de TV se espalha rapidamente pelos televisores, computadores e smartphones de todo o Japão.

Na casa das Outer Senshi, Hotaru assistia juntamente com Setsuna um programa de culinária quando é surpreendida pelo anúncio. Setsuna fica apreensiva.

Hotaru: Haruka-papa, Michiru-mama! Olhem isso, rápido.

“…um grande beijo de sua querida Mimi!”

Michiru: Essa mulher.

Haruka: Algo nela me incomoda.

Setsuna: Ela é muito familiar.

Hotaru: Mimi? Já ouvi um nome parecido como este.

Haruka: Espero que esteja enganada, Hime-chan.

A velocista se levanta da poltrona onde lia o jornal e pega as chaves de seu carro.

Michiru: Onde vai, Haruka?

Haruka: não se preocupe, sereia. Apenas vou onde o vento estiver soprando leves brisas. Ah, vou comer uns takoyakis, fiquei com vontade.

Setsuna: Essa Haruka. Só existe uma outra pessoa que pensaria em comer takoyakis em uma situação dessas.

Michiru: Estou preocupada. A propaganda mexeu um pouco com ela, talvez mais do que a gente.

Hotaru: Ela vai voltar logo, sabe como ela é.

Setsuna: Tem razão, agora onde paramos naquela receita de okonomiyaki?

Michiru pega o seu espelho apreensiva. O que será que está por vir?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s