Capítulo 11

Uma casa, quatro planetas

Depois de um tango turbulento na noite passada, era chegada a hora de voltar à rotina. Uma delas chama bastante a atenção no distrito Mügen.

00h40

Michiru: fui para a cama tarde hoje, Hotaru não parava um minuto, graças à Haruka que teve a infeliz  ideia de encher a garota de doces, não que eu também não a mimasse, mas Tennou me deixa louca quando dá guloseimas para a menina perto das refeições. Um simples “Haruka-papa” conseguia fazer com que aqueles olhos verdes brilhassem feito estrelas. Eu e Setsuna somos as Super Nannies da casa, o papel de Haruka é de estragar a menina, fazendo com que ela desaprenda todas as coisas que passamos ou tentamos passar para ela. O que me deixa aliviada é que certas lições de Tennou não são absorvidas pela privilegiada cabecinha de Hotaru. Já encontrei muitas vezes Hotaru dormindo com os pés na cara de Haruka, que por sua vez babava no meu…*pausa dramática* TAPETE CARÍSSIMO! SABE QUANTO CUSTOU ESTE TAPETE, HARUKA TENNOU? SE NÃO SABE, SERÁ INFORMADA ASSIM QUE O SOL RAIAR, POIS VOU COLOCAR NO VIDRO DA SUA MALDITA FERRARI! QUE ÓDIO! *roda o vídeo de Mar em Fúria*. Ah…como o mar se acalma após uma tempestade tropical, eu tenho meus momentos um tanto…erm…tensos. Mas nunca perco a classe *cof…cof* ‘mas por quê estou tossindo? Que eu saiba não estou com tuberculose, talvez seja a convivência com certa pessoa que tem me deixado assim.’

Mas, vamos voltar à cena a qual estou presenciando no momento…estas duas criaturas ficaram jogando videogame até às ONZE E MEIA da noite! Minha opinião é que se fossem ficar acordadas até essa hora, que fizessem algo produtivo ou prazeroso, talvez conciliassem as duas coisas, seria pedir muito? Er…acho que prazeroso pareceu uma sugestão da certa pessoa da qual estava falando no começo deste capítulo. ‘Michiru! Não é hora de ficar vermelha. Você quer matá-la e não fazê-la feliz no momento…mas que influência ela tem sobre mim.’

Hotaru havia perdido horas de sono, eu tinha vontade de dar com a frigideira na cara de Haruka, principalmente depois de presenciar tal cena na sala, e as milhares de vezes que tropecei nos fios daquela maldita caixa de sapatos ambulante chamada…como era mesmo? Ah, PLAYSTATION. Eu nunca soube diferenciar um videogame do outro, só sei que as duas passavam o dia inteiro jogando corrida, luta, tiro, joguinhos de passar fases e um certo joguinho de dança que virou o vício da minha pequena em tempo integral. Aquilo era demais pra mim, acho que tocar violino é bem mais fácil do que jogar videogame. Às vezes eu achava até interessante perder nestes jogos porque Haruka me recompensava com…bem acho que vocês já entenderam a mensagem.

Hoje, após o jantar, minhas DUAS crianças, na verdade, Hotaru é uma só, porém Haruka insiste em se comportar como uma *exceto em alguns cômodos da casa, nossa esperta ela não?* foram jogar e criaram raízes no carpete de tanto tempo que ficaram lá sentadas, Haruka teve a ideia de gênio de levar docinhos coloridos o suficiente para durarem o mês inteiro, as duas devoraram os doces como dois monstros em alguns minutos em frente a combos, fatalities, especiais e magias de destruição em massa nos inimigos mais estranhos, se eu ficasse o tempo todo assistindo àquele espetáculo de explosões, gritos, risadas e shows de luzes, um ataque epiléptico não me tardava a chegar.

Não sei como aquelas duas conseguem ficar grudadas naquilo o tempo todo, bem o açúcar foi a pílula de ecstasy para Hotaru aguentar tanto tempo jogando. Não consigo mais me conter, vou chamar a atenção do “adulto responsável” para que essa loucura pare de uma vez por todas.

”Haruka! Desligue isso já, Hotaru tem aula amanhã e você tem treino no autódromo!” – esbravejei ameaçando puxar o fio da tomada.

Hotaru: Haruka-papa! Eu consegui, passei de fase! *comemorando que nem os bonequinhos de Final Fantasy*

Haruka: muito bem, Hime-chan! Também pudera, você tem uma excelente professora aqui.

Michiru se imagina dando um “combo” em Haruka e finalizando com um Fatality.

Michiru: lembram quando eu disse que não queria que Hotaru tivesse os traços de personalidade de Haruka? Se isso acontecesse eu não ia aguentar uma mini-Haruka correndo, cantando e partindo os corações de todas as meninas que avistasse. *imaginando uma Haruka de cabelos pretos e olhos violeta*

Não suportando mais o peso de minhas pálpebras, fui dormir, quero dizer, tentar dormir com tantos POW! ZAP! BOOM! BZZT! Pelo menos os deuses pouparam Setsuna de tanto barulho, estou quase perguntando à ela se posso ir dormir nos portões do tempo. Pluto-sama estava cuidando de outros assuntos, mas quais eu me pergunto? Ah, deixe estar, Plutão nunca diz o que está fazendo mesmo. Logo comecei a pensar, será que ela está fazendo algo útil, prazeroso ou ambos? Vamos às hipóteses…

‘Michiru pega uma tela mágica de Hotaru jogada no quarto dela e desenha as hipóteses possíveis’

Ela poderia estar…dormindo? Detesto como o gerúndio é aplicado nesta palavra, que sono.

Festejando? Nah…Setsuna é séria demais para festas.

Conversando? Mas com quem?

Namorando? Não. ‘segura o riso’

E por fim, investigando? Isso soa mais como Setsuna Meiou.

*suspiro* A sala estará imunda amanhã, toda cheia de açúcar, papéis de bala e latas de refrigerante jogadas, e pra quem vai sobrar limpar tudo isso? Ha! Para diarista da casa, eu. Acho que amanhã usarei o Maremoto de Netuno pra facilitar e acordar Haruka com um banho bem gelado. Isso, plano perfeito!

Se bem que Haruka é forte, aguenta uma marolinha, droga perdi o sono de novo, melhor não me preocupar por antecipação, melhor esperar amanhecer porque já são quase…01h10!

‘Michiru, em outro acesso de raiva joga a tela mágica de Hotaru no chão’

Já basta, Tennou Haruka! Essa é a última vez que isso vai acontecer! Eu, Kaiou Michiru darei um ultimato, porque isso é inacei…

Haruka: Michi?

01h10

Haruka acabara de entrar no quarto sussurrando o meu nome, não querendo me acordar, contudo sem saber que eu ainda estava acordada e invocando palavras que continham tarja preta e o “pi” eletrônico que eu teria que tapar os ouvidos de Hotaru se saíssem em alto e bom som.

Eu a ouvi trancar a porta e entrar no banheiro para se lavar pois ainda estava cheia de açúcar e toda melada. Eu fingi que estava dormindo e pensava seriamente em mandá-la dormir na sala de certo que as formigas não a deixariam em paz. *sorriso maléfico*

Senti que ela já subia na cama, tentando não fazer barulho. Ela se aproximou de mim para dar uma espiada se os deuses atenderam ao seu pedido de me fazer dormir, os mesmo deuses deveriam estar entediados, pois queriam ver um barraco…espera aí, barraco? Kaiou Michiru não é de fazer barraco! Ora essa, a quem quero enganar, pelo menos os barracos ficam restritos às paredes do quarto.

“Parece que se divertiu, Tennou” – enfatizando o quanto ela tem medo quando eu a chamo pelo sobrenome.

Ouvi um *gasp*, parecia ser um engasgo, era bom ela não ter fingido isso senão eu mesma a esganaria.

“…ronc…ZZZZZ”

“Eu sei que está acordada, Haruka!” – levantei a minha voz. Eu não sou otária como as garotas com quem você flerta…

Haruka: M-Michi, é tarde, podemos conversar amanhã? – senti uma mão se posicionando na minha cintura.

Michiru: Não ouse me tocar, Haruka. Deve estar cheia de açúcar.

Haruka: ainda tem um pouquinho na minha boca…

Não comece, Haruka! Você não faz ideia da minha ira e de como…a carne é fraca…a infeliz ainda falou com uma voz rouca e deu uma risada no mesmo tom.

Michiru: não quero, estou de regime. Além disso estou cansada e com muita raiva. *imagina um balde gigante de água fria em Haruka*

Haruka: meu beijo é light com 0% de gordura trans, se está cansada eu te faço uma massagem delirante e a sua raiva vai passar quando me agradecer, minha sereia.

Eu te odeio, Haruka! Malditas sejam suas palavras, será que com a caneta de transformação veio o sex appeal?

Haruka: minha sereia, tira o dia de folga amanhã, já cuidei dessa parte…

Eu não podia acreditar, ela limpou a sala? Como ela se tornou responsável do dia para…er…o dia? Será algum personagem novo de Street Fighter com uma estória que ensina responsabilidade e respeito ao próximo? Se for isso, vou conferir assim que o sol der as caras.

Subitamente, Haruka me virou e me deu um beijo, perguntem se as pessoas conseguem conseguem ter tanto fôlego assim pra um beijo, e a resposta veio à cabeça em 5 nanossegundos…Não.

08h

Acordei e olhei para o relógio, momento flashback do primeiro episódio de Sailor Moon Classic, antes de fazer o mesmo lembrei de como estava cansada e resolvi virar para o outro lado e dormir novamente, minha boca ainda tinha gosto de chocolate, não me lembrava a marca, meus cabelos pareciam um macarrão cabelo de anjo, como se um trem-bala ou um vento muito forte tivesse passado pelo quarto. Um vento pode até ser…um certo vento que não pensa antes de agir e tem habilidades interessantíssimas…que são um segredo.

09h15

Desço as escadas e quando abro a porta da sala, quase tenho um infarto.

HARUKA! MINHA SALA ESTÁ UMA BAGUNÇA, VOCÊ NÃO LIMPOU COISA ALGUMA! OLHE O ESTADO DO MEU TAPETE! E ESTA MANCHA DE CHOCOLATE NO MEU SOFÁ? EU TE MATO TENNOU!

E a rotina volta ao normal. Nem sempre a vida é um mar de rosas tampouco uma brisa calma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s